sábado, 25 de julho de 2009

Natal e as confusões na comunicação!!!

Bem, me lembrei de algumas coisas da época que morei em Natal. Uns desencontros de comunicação...rsrsrsrsrs...
Bem, com poucos dias em Natal, minha tia Socorro estava saindo meio apressada e me disse: Minha filha, bote esse livro ali no "birô"...eu lá sabia o que era birô? Como não deu tempo de perguntar, coloquei na estante. Imaginei: bem, deve ser isso. Mas não era. Quando ela voltou me procurou e perguntou onde eu havia colocado o livro que ela pediu que eu colocasse sobre o tal birô. Eu disse a ela que não sabia o que era birô...ela riu e me disse: oras, é uma mesinha, uma mesa...kkkkkkkkkkk. Depois descobri que essa expressão vem do francês: Bureau, que significa escrivaninha. rsrsrsrs. Pois é com tantos países que invadiram nosso Brasil só podia dar nisso, uma mistura de palavras e significados em cada Estado. Nossa língua nem deveria se chamar portuguesa e sim brasileira mesmo, tão grande é a diferença do português de Portugal.
Outro dia, na casa de tia Terezinha ela também estava saindo para o trabalho e me disse: Olhe Sandra, tem cocadinha de leite no armário, coma. - sim, repondi. Procurei essa cocadinha de leite e não encontrei, encontrei apenas umas barrinhas de doce de leite, mas a tal cocadinha de leite não encontrei. Quando ela retornou, algum tempo depois me perguntou - ué, vcê não quis comer a cocadinha. - não encontrei essa cocadinha, tia. Aí ela pegou os docinhos de leite em barra e disse olhe, está aqui. Aí eu fiquei chateada hein...como tia? Isso é doce de leite em barra, não é cocadinha. Onde está o coco??? Isso pra mim foi demais. Nesse ponto o nordestino complica não é? Onde já se viu cocada sem coco?
Outro dia na agência de publicidade onde trabalhei, um colega de trabalho me pediu um lápis. Eu dei um lápis. Ele imediatamente reclamou, não, isso é um grafite, eu quero um lápis-tinta. Eu peguei uma lapiseira, dessas que se colocam grafites dentro, não um estojo de colocar lápis e canetas, mas uma lapiseira, retirei o grafite de dentro e disse: Isso é um grafite...que se coloca na lapiseira...peguei o dicionário e mostrei o significado de lapiseira: pode ser estojo ou o carbono que se coloca na lapiseira; aí peguei o lápis e disse: isso é um lápis, de madeira que tem um grafite dentro; Peguei a caneta e mostrei: Isso é uma caneta...lápis-tinta não existe. hahahahahahahahahahahahaha...puts, pelo amor de Deus! Complicou demais!!! Vamos facilitar e não complicar né?
Mais uma: Na casa de tia Terezinha, certo dia ela demorou a chegar do trabalho. Eu já estava preocupada. Quando ela chegou disse: eu demorei porque passei na casa de Célia (uma amiga dela que estava grávida). Célia descansou! Ela disse. Eu fiquei apavorada, levei um enorme susto. MORREU TIA? perguntei. Não, minha filha, teve menino! Ahhh bommmm. Puxa, tia, na minha terra quando se diz que alguém descansou é porque tava sofrendo muito e morreu! Mas e aí qual vai ser o nome do menino? e ela - não, minha filha, é uma menininha. Mais uma vez, complicou de novo. Poderia ter dito: ganhou neném, teve bebê, pariu, o bebê nasceu...qualquer um, eu iria entender que o bebê dela tinha nascido, mas, descansou? Puts. E depois disse que teve menino...mas era uma menina...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Essa minha tia é um amorzinho, amo ela. É muito querida, mas os termos doo lugar complicavam tudo.
Lá, a maioria das pessoas costumam fazer um arroz chamado arroz-da-terra é parrecido com arroz integral, só que eles costumam fazer bem papa, bem molinho. A maioria não faz o arroz agulhinha, não sabem fazer. Algumas pessoas quando querem fazer arroz solto compram um arroz que vem num saquinho todo furado, aí já cozinham dentro do saquinho e escorrem no escorredor de macarrão e depois fazem algum molho e temperam, porque não sabem fazer o arroz como o nosso. Bem meu primo, certo dia fazendo o tal arroz, depois que cozinhou, pegou o arroz, tirou do saquinho, e lavou na torneira! pode isso? depois que cozinhou, o arroz está limpinho, sem impurezas, porque cozinhou, aí ele pegou e lavou o arroz naquela água de torneira, que vinha da caixa d'àgua, que ficava embaixo do telhado e nem tampa tinha...rsrsrsrsr...limpinho ficou esse arroz né? Imagine. E ele ainda achava que estava certo... arroz, tem que lavar antes de cozinhar viu Carlinhos Klinger??? Depois não, porque contamina o arroz, e fica todo úmido...horrível!!!
Bem...essas foram algumas coisas engraçadas que vivi em Natal!! Cidade maravilhosa de gente boa.
No mais, foram grandes alegrias e festas.

Um comentário:

  1. rsrsrsrs

    Sandra, você me fez chorar da risada

    Amei a crónica

    Beijos.

    Marcela

    ResponderExcluir